ASSISTENTES TÉCNICOS DE EDUCAÇÃO BÁSICA

Este espaço é destinado a organização e luta dos Assitentes Técnicos de Educação Básica por maior valorização da classe.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Nova Tabela de Vencimentos a contar de 01/05/2010

Tabelas de Vencimento Básico da Carreira de Assistente Técnico de Educação Básica

I.6.1 – Carga horária: 30 horas

Nível de Escolaridade

Nível

Grau

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Ensino médio técnico

I

577,50

594,83

612,67

631,05

649,98

669,48

689,57

710,25

731,56

753,51

776,11

799,40

823,38

848,08

873,52

Ensino médio técnico acumulado com uma certificação

II

704,55

725,69

747,46

769,88

792,98

816,77

841,27

866,51

892,50

919,28

946,86

975,26

1.004,52

1.034,66

1.065,70

Ensino médio técnico acumulado com duas certificações

III

859,55

885,34

911,90

939,25

967,43

996,46

1.026,35

1.057,14

1.088,85

1.121,52

1.155,16

1.189,82

1.225,51

1.262,28

1.300,15

Ensino superior

IV

1.048,65

1.080,11

1.112,52

1.145,89

1.180,27

1.215,68

1.252,15

1.289,71

1.328,40

1.368,25

1.409,30

1.451,58

1.495,13

1.539,98

1.586,18

Pós-graduação "lato sensu" ou "stricto sensu"

V

1.279,36

1.317,74

1.357,27

1.397,99

1.439,93

1.483,12

1.527,62

1.573,45

1.620,65

1.669,27

1.719,35

1.770,93

1.824,06

1.878,78

1.935,14


Estruturas das Carreiras

I.4 – ESTRUTURA DA CARREIRA DE ASSISTENTE TÉCNICO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

Carga horária semanal de trabalho: 30 ou 40 horas

Cargo

Nível

Nível de escolaridade

Quantidade

Grau

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Assistente Técnico de Educação Básica (ATB)

I

Ensino médio técnico

22.185

IA

IB

IC

ID

IE

IF

IG

IH

II

IJ

IL

IM

IN

IO

IP

II

Ensino médio técnico acumulado com uma certificação

IIA

IIB

IIC

IID

IIE

IIF

IIG

IIH

III

IIJ

IIL

IIM

IIN

IIO

IIP

III

Ensino médio técnico acumulado com duas certificações

IIIA

IIIB

IIIC

IIID

IIIE

IIIF

IIIG

IIIH

IIII

IIIJ

IIIL

IIIM

IIIN

IIIO

IIIP

IV

Ensino superior

IVA

IVB

IVC

IVD

IVE

IVF

IVG

IVH

IVI

IVJ

IVL

IVM

IVN

IVO

IVP

V

Pós-graduação "lato sensu" ou "stricto sensu"

VA

VB

VC

VD

VE

VF

VG

VH

VI

VJ

VL

VM

VN

VO

VP"

I.5 – ESTRUTURA DA CARREIRA DE ASSISTENTE TÉCNICO EDUCACIONAL

Carga horária semanal de trabalho: 30 ou 40 horas

Cargo

Nível

Nível de escolaridade

Quantidade

Grau

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Assistente Técnico Educacional (ATE)

I

Ensino médio técnico

2.417

IA

IB

IC

ID

IE

IF

IG

IH

II

IJ

IL

IM

IN

IO

IP

II

Ensino médio técnico acumulado com uma certificação

IIA

IIB

IIC

IID

IIE

IIF

IIG

IIH

III

IIJ

IIL

IIM

IIN

IIO

IIP

III

Ensino médio técnico acumulado com duas certificações

IIIA

IIIB

IIIC

IIID

IIIE

IIIF

IIIG

IIIH

IIII

IIIJ

IIIL

IIIM

IIIN

IIIO

IIIP

IV

Ensino superior

IVA

IVB

IVC

IVD

IVE

IVF

IVG

IVH

IVI

IVJ

IVL

IVM

IVN

IVO

IVP

V

Pós-graduação "lato sensu" ou "stricto sensu"

VA

VB

VC

VD

VE

VF

VG

VH

VI

VJ

VL

VM

VN

VO

VP"

I.7 – ESTRUTURA DA CARREIRA DE ASSISTENTE DE EDUCAÇÃO

Carga horária semanal de trabalho: 30 ou 40 horas

Cargo

Nível

Nível de escolaridade

Quantidade

Grau

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Assistente de Educação (ASE)

I

Ensino médio

1.171

IA

IB

IC

ID

IE

IF

IG

IH

II

IJ

IL

IM

IN

IO

IP

II

Ensino médio acumulado com uma certificação

IIA

IIB

IIC

IID

IIE

IIF

IIG

IIH

III

IIJ

IIL

IIM

IIN

IIO

IIP

III

Ensino médio acumulado com duas certificações

IIIA

IIIB

IIIC

IIID

IIIE

IIIF

IIIG

IIIH

IIII

IIIJ

IIIL

IIIM

IIIN

IIIO

IIIP

IV

Ensino superior

IVA

IVB

IVC

IVD

IVE

IVF

IVG

IVH

IVI

IVJ

IVL

IVM

IVN

IVO

IVP

V

Pós-graduação "lato sensu" ou "stricto sensu"

VA

VB

VC

VD

VE

VF

VG

VH

VI

VJ

VL

VM

VN

VO

VP"


Reajuste Salarial

Companheiros (as),

Abaixo, informação e comprovação da atuação do Sindpúblicos-MG em prol dos ATB e ASE, quando na reunião do dia 18/01/2010, em que pelo Sindpúblicos-MG participaram Geraldo, Eduardo e Carlos, entregamos documento em que pleiteamos a EQUIPARAÇÃO DAS TABELAS DOS ATB e ASE com as TABELAS DO ATE das Superintendências Regionais de Ensino da SEE/MG.

Saudações Sindicais e Educacionais, Eduardo Sérgio Coelho
Diretor de Seguridade Social
Sindpúblicos - MG

LUTA DO SINDPÚBLICOS – MG TROUXE RESULTADOS PARA OS
SERVIDORES ADMINISTRATIVOS DA EDUCAÇÃO

Manifestação dos Servidores em frente à Cidade Administrativa, nova sede do
Governo.
O SINDPÚBLICOS – MG entrou na luta por Recomposição Salarial dos Servidores Públicos de Minas Gerais e, após várias reuniões com respostas negativas às reivindicações de aumento salarial, nos reunimos junto aos demais Sindicatos dos Servidores e juntos, em um grande manifesto na nova sede do governo, a Cidade Administrativa, reunimos cerca de 4 mil trabalhadores, que clamaram por reajuste.

Administrativos da Educação


Em reunião com o Vice-governador, no dia 18 de janeiro, com a participação do SINDUTE, Anastasia perguntou aos Sindicatos presentes qual era a situação mais grave hoje na Educação. O SINDPÚBLICOS – MG foi categórico ao responder que a parte administrativa da Educação era a que mais sofria diante dos baixos salários, e era a que precisava ser revisada. Inclusive a situação dos Ex-MinasCaixa (ASE’s) e os administrativos que trabalham em escolas (ATB’s). Após toda essa luta abraçada pelo SINDPÚBLICOS – MG em prol dos Servidores Administrativos da Educação, inclusive os que trabalham em escola, o Governador anunciou a tão desejada equiparação. Está sendo proposta a instituição de novas tabelas de vencimento básico para as carreiras dos técnicos e analistas dos Grupos de Atividades de Educação Básica, tendo como parâmetros os valores das tabelas salariais das carreiras da Secretaria de Estado de Planejamento, já acrescidos do reajuste de 10%.


sábado, 27 de fevereiro de 2010

Esquecidos

Gente,

tenho mandado e-mail, mensalmente, a todos os nossos deputados, mas pouquíssimos deles tem se importado com a categoria, tanto que nem ao menos têm respondido aos referidos questionamentos. Quando forem votar este ano, pensem bem antes de dar o seu voto àqueles que já estão lá e não se importam com você.

Saiamos a luta!


segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A luta continua

         Caros colegas ATBs(auxialiares de secretaria de Minas Gerais), no próximo dia 20 de agosto, estaremos protestanto contra a atual política salarial que o Governo de Minas vem implementando com a categoria, ou seja, são mais de 10 anos sem uma correção digna dos nossos vencimentos. 
          Esta condição não pode continuar, temos que ir à luta, por isto, estaremos mostrando a nossa insatisfação.

           Paralisação já! Mostremos ao governo a importância dentro da educação, façamos com que ele(governo) note que existimos. Sem os auxiliares a escola pára.

           Amigos, parem as suas atividades nesta quinta-feira(20/08), cruzem os braços e mostremos  que a educação também se faz pela valorização justa e digna do quadro técnico adminitrativo das escola.

        A luta é de todos! Ou tem alguém satisfeito com o que recebe ao final do mês? Suas condiçoes de trabalho são boas? 

Divulguem para os demais!

Lei Sancionada

Lula sanciona lei que valoriza funcionários de escolas públicas

A partir de agora, funcionários das escolas públicas de todo o Brasil, devidamente habilitados, passam a ser oficialmente reconhecidos como educadores. A lei 12.014/ 2009 foi sancionada na quinta-feira (6) pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e publicada na sexta (07) no Diário Oficial da União. “É um momento histórico para a educação brasileira. Finalmente, esses profissionais tiveram sua dignidade resgatada”, comemora Roberto Leão, presidente da CNTE.

A sanção da lei, cujo texto foi mantido na íntegra pelo presidente da República, ocorreu menos de um mês após o projeto da senadora Fátima Cleide (PT/RO) ter sido aprovado no Senado. O texto modifica um dos artigos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (9.394/96), discriminando as categorias de trabalhadores que se devem considerar profissionais da educação, mediante a formação em cursos reconhecidos.

“Agora, o novo desafio é exigirmos a aplicabilidade da legislação e cobrar do Ministério da Educação maior empenho no desenvolvimento do Programa Profuncionário e a criação de cursos superiores para as áreas de apoio escolar”, afirma Leão. Ele diz que a sanção sem vetos da lei 12.014 valoriza mais de um milhão de trabalhadores em educação, e “é um incentivo à formação profissional dos funcionários de escolas, para que tenham o merecido valor na contribuição da melhoria da educação brasileira”.

O secretário adjunto de políticas sindicais da CNTE, José Carlos Prado, lembra que muitos estados ainda não oferecem o Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Profuncionário). "Sem essa capacitação, os trabalhadores não se profissionalizam. Este é o próximo desafio a ser vencido", pontua.

Sobre o curso

O Profuncionário é um curso de educação a distância ou presencial, em nível médio, voltado para os trabalhadores que exercem funções administrativa nas escolas das redes públicas estaduais e municipais de educação básica.

Ele forma os profissionais nas seguintes habilitações: gestão escolar, alimentação escolar, multimeios didáticos, e meio ambiente e manutenção da infraestrutura. (CNTE)

Fonte: CNTE Informa 494

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Piso Nacional também para os ATBs.

Vitória para os funcionários

O Senado aprovou, nesta quarta-feira (15), o Projeto de Lei (PLS 507/2003) que 
reconhece os funcionários de escolas como profissionais da educação, 
mediante habilitação específica.

Após anos de luta da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, essa conquista representa um “grito de independência” para a classe, como afirmou o coordenador nacional do Departamento de Funcionários de Escola (DEFE) da CNTE, João Alexandrino de Oliveira. “É um orgulho muito grande. Há 15 anos que estamos buscando por este reconhecimento. Agora, também somos, de direito, trabalhadores da educação”, comemora.

O PLS é de autoria da senadora Fátima Cleide (PT – RO), ex-dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Rondonia (Sintero) e da CNTE. A proposta altera um dos artigos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (n°9.394/96), discriminando as categorias de trabalhadores que se devem considerar profissionais da educação.

Para o presidente da CNTE, Roberto Franklin de Leão, o Projeto faz justiça aos trabalhadores que sempre contribuíram com a melhoria do ensino, mas não eram reconhecidos por esse papel. “Isso tem que ser colocado em prática. Além disso, esperamos, definitivamente, acabar com as intenções existentes de terceirizar o serviço dos funcionários de escola. Este é um setor fundamental para a melhoria da educação”, diz.

O secretário adjunto de políticas sindicais da CNTE, José Carlos Prado, afirma que este é um momento histórico, mas ainda existem outros desafios. Ele lembra que muitos estados ainda não oferecem o Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (Profuncionário). “Sem essa capacitação, os trabalhadores não se profissionalizam. Este é o próximo desafio a ser vencido”, pontua.

Sobre o curso

O Profuncionário é um curso de educação a distância ou presencial, em nível médio, voltado para os trabalhadores que exercem funções administrativa nas escolas das redes públicas estaduais e municipais de educação básica. Ele forma os profissionais nas seguintes habilitações: gestão escolar, alimentação escolar, multimeios didáticos e meio ambiente e manutenção da infraestrutura.

(Fonte: CNTE)

SINDPÚBLICOS MG

Pessoas que acompanham esta página.

Atualidades...

Loading...

Quem somos nós!

Montes Claros, Minas Gerais
Servidores das Escolas Estaduais de Minas Gerais que mediante a situação caótica em que nos encontramos, resolvemos parar de reclamar e sairmos para a luta em busca de melhores salários e condições dignas de trabalho.

Nosso espaço!

Colegas de luta, este espaço é o seu canal de informações e troca de idéias sobre a nossa categoria. Portanto,  deixe o seu comentário e sugestão para melhoria deste espaço e melhoria também da nossa organização na busca de condições dignas de trabalho para toda a classe.